Dilma ganha respaldo com “tolerância zero”

06dez11

Dilma, capa da Newsweek: em alta no Brasil e no exterior

E lá se foi o sétimo ministro do governo Dilma Roussef; o sexto após suspeitas de irregularidades. Carlos Lupi (Trabalho) deixou o ministério após Antônio Palocci (Casa Civil), Alfredo Nascimento (Transportes), Nelson Jobim (Defesa), Pedro Novais (Turismo), Wagner Rossi (Agricultura) e Orlando Silva (Esportes). Destes, apenas Jobin não esteve envolto por acusações. Aos poucos a presidenta vai substituindo a herança deixada por seu antecessor e mandando um recado direto aos partidos aliados a respeito de sua postura.

Quando assumiu o governo, há menos de um ano, muita gente achava que a presidenta não conseguia identificar quais contornos daria à sua administração. Pouco mais de um ano depois, deixa claro aquilo que ela não quer. Com isso, a imagem internacional da primeira mulher a ocupar o cargo máximo da República está nas alturas. Ganha prestígio internacional, e com ele, poder. A ponto de ser a primeira dirigente mulher a abrir a Assembleia Geral das Nações Unidas.

Dilma mira em dois pontos fundamentais com a intolerância à corrupção, ou pelo menos, a escândalos: seu futuro político e do próprio PT e os investimentos externos. Sabe-se no mundo lá fora que um dos fatores que pesam contra investimentos no Brasil sempre foi a corrupção, associada à morosidade do Estado e outros fatores. Porém, a corrupção desacredita a máquina brasileira perante investidores estrangeiros e a presidenta não está disposta a passar de guerrilheira à vendilhona.

Internamente, em um momento no qual o Brasil clama por decência no serviço público e a Receita Federal investiga até seus próprios auditores, ela ganha força diante dos partidos aliados porque mostra quem tem a caneta na mão e inverte o papel com a base, deixando de ser refém ao expor feridas purulentas dos políticos tradicionais.

Até o momento, a postura firme da presidenta no quesito honestidade está ganhando respaldo internacional, força na mídia e simpatia junto à sociedade. Não é à toa que em setembro sua popularidade era mais alta que a de Lula e FHC, no mesmo período de governo, segundo pesquisa CNI/Ibope (veja aqui). Além disso, Dilma Roussef esvazia o discurso da oposição, que colou no governo de seu antecessor o selo de “o mais corrupto do Brasil”.

Com tolerância zero às falcatruas – pelo menos àquelas que vazam na mídia, a presidenta começa a pavimentar dois caminhos: o primeiro das sucessões estaduais, mostrando que o PT não está mais disposto a compactuar com irregularidades, sejam elas internas, seja dos aliados. O segundo caminho é o da sua própria reeleição, visto que com a saúde combalida do ex-presidente Lula – ícone e maior nome do PT, o Partido dos Trabalhadores precisará de um “plano B”, caso ele não possa – ou não tenha condições, de ser o candidato, como se imaginava que ocorreria após os quatro anos de Dilma.

No campo da economia o Brasil dá sinais de que tem “gordura” para queimar com suas reservas cambiais alcançando patamares inéditos. A redução da máquina do Estado, iniciada no governo FHC tem ajudado muito, e até o PT reconhece isso. É preciso, ainda, ajuste fiscal, redução de despesas, melhoria na infraestrutura e criação de nichos econômicos em regiões pouco desenvolvidas.

A crise europeia, pelo visto, não anda nem fazendo cosquinha – pelo menos por enquanto – na economia brasileira, apesar da inflação ter subido um pouco. Porém, é bom colocar as barbas – ou melhor, as madeixas – de molho, já que os Estados Unidos, nossos principais importadores, não andam lá tão bem das pernas. Melhor mesmo é reforçar as parcerias com os asiáticos, especialmente a China, que possui em caixa mais que o dobro do que a Europa inteira precisa hoje para se reerguer.

Anúncios


No Responses Yet to “Dilma ganha respaldo com “tolerância zero””

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: